Terça-feira, 4 de Outubro de 2016

Especulações vocabulares (2ª Série) (3)

(Significado corrente, mas também exploratório das palavras)

 

CCCC

 

Capaz

 

Que tem aptidão para fazer algo.

Há muitos que acham que têm esse dom. Mas enganam-se. O autor do Livro do Desassossego questionava a propósito que nas mansardas ou em outros lugares da casa, quantos não se julgam génios?, seres superiores?, indivíduos talentosos? E no entanto, como acrescentava, a História não registará nas suas páginas o nome de nenhum. Isto de ser capaz, de ter competência, de ser hábil para a realização seja lá o que for, requer vocação, mas também perseverança — duas qualidades que escasseiam na espécie humana. Pelo menos, na maior parte, que é desajeitada e inconstante.

 

Cimento

 

Massa feita da mistura de calcário e argila triturados, com água e areia, usada para unir materiais diversos de construção.

Serve de metáfora quando se quer referir algo de natureza diferente, mas também capaz de juntar, ligar ou colar duas ou mais coisas distintas. Quando se fala de sentimentos como a amizade ou a solidariedade, é frequente dizer-se a respeito que elas são um «cimento de excelência», ou seja, muito agregador, tal o poder que têm de unir as pessoas. Ainda mais eficaz do que ambas e na mesma aceção, é o amor, não importa se entre namorados, entre esposos ou entre pais e filhos. Pelo menos, como era antigamente.

 

Conhecimento

 

O mesmo que saber. Domínio de uma arte ou ciência. Ou até de várias simultaneamente. Plural: conhecimentos.

Na definição de arte e de ciência é que reside o problema. Uma e outra obtêm-se apenas nos estabelecimentos de ensino? Só os que andaram por lá é que as dominam? É que lhes têm acesso? Então o pastor analfabeto, que olha para o céu e intui logo (há tantos anos que acompanha o seu rebanho!...) que vai chover ou fazer sol; então esse rural que nunca pegou num livro, mas lê melhor o tempo do que um meteorologista — como chamá-lo?, que classificação atribuir-lhe? — De ignorante? De não dispor de conhecimentos? De não ter qualquer saber?

 

IRDEA

publicado por olhoatento às 22:23
link do post | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Mudança de local

. Morte do Autor

. JESUS RESSUSCITOU!!!

. Sobre alguns dias do dia ...

. O planeta que habitamos (...

. Sobre alguns dias do dia ...

. Em versos me revelo (74)

. Sobre alguns dias do dia ...

. Apresentação de «Como Jog...

. Da Angola que permanece n...

. Reeditando (73)

. Sobre alguns dias do dia ...

. Melhor a imagem do que a ...

. O planeta que habitamos (...

. Convite para lançamento d...

. Sobre alguns dias do dia ...

. Em versos me revelo (73)

. Sobre alguns dias do dia ...

. Da Angola que permanece n...

. Sobre alguns dias do dia ...

. Reeditando (72)

. Melhor a imagem do que a ...

. Sobre alguns dias do dia ...

. O planeta que habitamos (...

. Sobre alguns dias do dia ...

. Em versos me revelo (72)

. Da Angola que permanece n...

. Reeditando (71)

. Melhor a imagem do que a ...

. Especulações vocabulares ...

.entradas no blog

Free track counters
Lovely Counter

.posts visitados

Free track counters
Lovely Counter

.meteorologia

.favorito

. Especulações vocabulares ...

. Melhor a imagem do que a ...

. Da Angola que permanece n...

. No momento da morte de Ne...

. Reeditando (6)

. A preto e branco (5)

. Em versos me revelo (5)

.tags

. evocação

. ficção

. poesia

. recordações de angola

. temas em análise

. todas as tags

.arquivos